Lucas Couto é empossado como defensor público substituto

Lucas do Couto Santana foi empossado como defensor público substituto na manhã da sexta-feira, 09, pelo subdefensor público-geral do Estado, Marcus Edson de Lima. Ele é natural de Sergipe, formado  em Direito pela Faculdade Tiradentes.

O subdefensor geral deu as boas-vindas ao empossado em nome do defensor púbico-geral  do Estado, Antonio Fontoura Coimbra. “A partir de agora você faz parte da família Defensoria Pública, por isso vamos trabalhar juntos em prol dos necessitados, levando cidadania aos cantos mais remotos de nosso estado”, destacou Marcus Edson de Lima.

Ainda falando em nome da Administração Superior, Marcus Edson  destacou a necessidade de todos os defensores trabalharem  juntos  com o objetivo de fortalecer a Defensoria Pública de Rondônia, a exemplo do que vem ocorrendo com essa instituição em todo o Brasil.

Segundo ele, Rondônia vem obtendo êxitos consideráveis na área legislativa. “Avançamos também na execução de projetos concretos  para valorização e estruturação da instituição, apesar  de termos uma certa  dificuldade  para que o Executivo reconheça a importância da Defensoria”, pontuou.

O empossado agradeceu o acolhimento oferecido pelos membros da Defensoria Pública, que não mediram  esforços para atendê-lo em suas necessidades.   “Muitos amigos não conhecem  a Região Norte, mas a vejo como um mundo em construção, com grande perspectiva de futuro. Espero oferecer o melhor de mim para o crescimento e consolidação da instituição”, declarou.

O vice-presidente da Associação dos Membros da Defensoria Pública de Rondônia (Amdepro), defensor público Daniel Mendes de Carvalho, lembrou que a carreira de defensor público não tem glamour e nem regalias, “porém é gratificante se atendermos  bem, e com qualidade, a razão de nossa existência, que é o assistido”.

De acordo com ele, a Defensoria Pública não comporta mais o defensor público formatado, que fica preso ao seu gabinete cuidando de processos, sem conhecer a realidade do assistido. Para o representante da  Amdepro, o desafio é grande, é preciso  progredir, consolidar prerrogativas.

O jurista paulista Celso Antônio Bandeira de Mello foi citado pelo defensor público José Alberto de Paula Machado em sua breve explanação para mostrar o quanto a profissão de defensor público vem se consolidando no Brasil. José Alberto  citou a entrevista  do jurista em uma emissora de televisão em que afirmou que se pudesse voltar ao tempo de juventude escolheria a  carreira de defensor.