Prefeitura recupera pavimento do Núcleo Dom Romeu

Com a previsão de utilizar cerca de 100 toneladas de massa asfáltica, a Secretaria de Obras da Prefeitura de Apucarana iniciou nesta semana a revitalização da malha viária em todo o Núcleo Habitacional Dom Romeu Alberti. “Pretendemos finalizar esta frente ainda nesta semana, devolvendo a trafegabilidade para quem mora ou precisa recorrer ao bairro”, informa Júnior da Femac, secretário da pasta.

Além do tapa-buraco com concreto betuminoso usinado a quente (CBUQ), os trabalhos da prefeitura envolvem a limpeza e colocação de pedra brita nos locais de reparo. “Estamos agindo com o auxílio de três caminhões, um rolo compactador e uma camioneta. No total são 12 operários”, complementa Júnior.

Seguindo um cronograma, aprovado pelo prefeito Beto Preto (PT), o próximo bairro a ser beneficiado com tapa-buraco será o Loteamento José Mercadante, nas proximidades do pátio de máquinas municipal. “Na próxima segunda-feira devemos dar início à aplicação da lama asfáltica em diversos pontos da cidade”, destaca o secretário. Ele lembra que recentemente a prefeitura concluiu licitação na ordem de R$ 742 mil. A empresa vencedora da tomada de preços foi a Asfaltopav Serviços de Pavimentação de Ltda., de Cambé. “Os recursos são do próprio município e serão utilizados na melhoria da malha viária em dez regiões da cidade, em uma área total de 100 mil metros quadrados de asfalto”, afirma Júnior.

João Paulo I – Uma segunda equipe da Secretaria de Obras finaliza a recuperação emergencial do pavimento no Núcleo Habitacional Papa João Paulo I, um dos mais populosos de Apucarana. Segundo o prefeito Beto Preto, após este trabalho paliativo, em breve amplas intervenções vão chegar ao bairro, envolvendo obras de drenagem, reperfilamento, recomposição com massa quente (CBUQ) (ruas com maior tráfego, como passagem de ônibus) e aplicação de lama asfáltica (nas ruas mais planas). “O trabalho emergencial que estamos concluindo está absorvendo cerca de 300 toneladas de massa CBUQ e trabalho de 15 operários municipais”, comunica Beto. A logística envolve ainda três caminhões, um rolo compactador e uma camioneta.

Somadas, as duas frentes de trabalho tapa-buraco – Dom Romeu e João Paulo I – representam cerca de R$80 mil de investimento, somente em aquisição da massa asfáltica.