Metade da safra brasileira passa pelas cooperativas e por que a presidente Dilma nunca fala com os cooperados?

Por José Luiz Tejon Megido, Diretor Vice Presidente de Comunicação do Conselho Cientifico para a Agricultura Sustentável (CCAS), Dirige o núcleo de agronegócio da ESPM, Comentarista da Rede Estadão.

Vamos falar sobre a importância do cooperativismo no Brasil: 50% da safra brasileira passa por cooperativas. Metade da safra brasileira é transportada por caminhões de cooperativas de cargas. E vai aqui uma pergunta: por que a presidenta Dilma não recebe, não fala e não trata o cooperativismo com o valor que ele merece?

Por que parte do PT, do Pronaf, por exemplo, não quer considerar 70 mil famílias de produtores rurais de uma cooperativa Aurora, só para dar um exemplo, como legítimos membros da agricultura familiar? Por que algo tão fundamental como o cooperativismo não recebe da presidente da República o valor e a atenção devida? O cooperativismo de crédito chega em cidades onde banco algum está, em pelo menos 800 municípios brasileiros.

Os líderes cooperativistas precisam, merecem e deveriam ter da presidência da República, não apenas admiração, mas profundo respeito e, não são simplesmente recebidos pela arrogância ontológica da presidenta Dilma.

Presidenta Dilma a senhora precisa muito mais do cooperativismo do que o cooperativismo do governo, pois envolvem 11 milhões de brasileiros, e crescerão cada vez mais. Nas hortaliças, legumes e frutas, combate a inflação, organização da produção, abastecimento das cidades, sem cooperativas ninguém coordena, e não são criadas câmaras de armazenagem, estoques, processamento, ficando tanto produtores rurais quanto consumidores nas mãos do tempo, das intempéries, ou de pouquíssimos intermediários.

Cooperativa neles. O agronegócio dos micros, pequenos e médios só vive com cooperativismo. E dos grandes, a cooperativa representa uma central de inteligência, como no modelo dos Estados.

Sobre o CCAS

O Conselho Científico para Agricultura Sustentável (CCAS) é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça.

Acompanhe o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel