Follador pede ação de urgência para Guajará, Jacy e Porto Velho

Depois de agradecer e pedir um reforço nas ações da Defesa Civil em apoio às populações atingidas pela cheia do Rio Madeira, com milhares de desabrigados, número que não para de subir, o deputado Adelino Follador (DEM), pediu que o Governo e as instituições de defesa aumentem o socorro a Jacy-Paraná e Guajará Mirim, e o monitoramento sobre outras comunidades, como as banhadas pelos rios Machado e Jamari, para que sejam socorridas a tempo, para evitar maiores prejuízos.

Para ele, é preciso ampliar o apoio na Capital, mas é igualmente importante atentar para situações como as de Ji-Paraná, Jacy-Paraná e Guajará Mirim, principalmente, onde o isolamento levou o prefeito municipal a cancelar a festa de carnaval local, e a decretar o estado de calamidade pública, ato que o Poder Legislativo Estadual certamente apoia integralmente, e vai reforçar o encaminhamento de medidas para socorrer as famílias desabrigadas e as instituições. “Não podemos neste momento é perder tempo procurando culpados pela enchente e pelos problemas dela decorrentes”, disse Follador.

O  risco de doenças

O deputado disse que sua preocupação maior é com o perigo que vem com a enchente que eleva enormemente o risco de uma série de doenças de caráter epidemiológico. Segundo ele, as águas das enchentes se misturam a outros mananciais impuros e com as fossas das casas atingidas, e esta mistura pode ser fatal, como indica a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Follador disse que além do risco de afogamento, que é factível, o risco maior se revela quando o rio começa recuar, fazendo emergir o alto risco de contaminações que expõe a população a inúmeras doenças, e também a uma série de acidentes, como choques elétricos e lesões corporais.

O deputado alertou as pessoas atingidas que atentem principalmente para as recomendações dos órgãos de saúde e vigilância, visto que a enchente por seu volume e contaminação natural, propicia o aumento na proliferação dos vetores de doenças, como ratos e mosquitos, e de picadas de animais peçonhentos, como aranhas, escorpiões e cobras.

Adelino Follador disse que tem muitos amigos em Porto Velho e pediu a eles que colaborem no esforço conjunto para socorrer a todos os desabrigados. Ele que foi prefeito e tem experiência no atendimento a grandes demandas, voltou a recomendar a todos que evitem beber água sem o devido tratamento, e até o simples contato com água contaminada, pois elas certamente estão carregadas de bactérias e vírus que causam doenças gravíssimas como a leptospirose (da urina do rato), hepatite A e E, além de febre tifoide, cólera e a terrível dengue. “O governo e as instituições tem a obrigação de zelar pela saúde, socorrer os desabrigados, mas é uma obrigação que é de todos os cidadãos”, disse o deputado.