Especialista difunde uso da homeopatia na agricultura

No Paraná, cerca de mil agricultores já utilizam a homeopatia nos tratos culturais. O principal centro irradiador desta tecnologia está na Universidade Estadual de Maringá (UEM), onde trabalha o professor Carlos Moacir Bonato, doutor em Fisiologia Vegetal. Nesta terça-feira (06/05), o especialista esteve em Apucarana, a convite da Secretaria Municipal de Agricultura, para difundir a técnica junto a cerca de 50 pequenos produtores rurais. A palestra, ministrada no Salão Nobre da Prefeitura, faz parte do Curso de Produção de Orgânicos, que está sendo desenvolvido desde fevereiro em Apucarana.

De acordo com o secretário municipal de Agricultura, João Carmo da Fonseca, este é o oitavo módulo do curso, que se estenderá até o final do ano. “Estamos trazendo uma série de especialistas para qualificar ainda mais o nosso curso. Recentemente, esteve em Apucarana um especialista do Tecpar (Instituto Tecnológico do Paraná), que abordou o processo de certificação das propriedades para o cultivo de orgânicos. E agora foi a vez do doutor Bonato, que há 14 anos vem pesquisando e difundindo o uso da homeopatia na agricultura”, afirma Fonseca.

O professor da UEM afirma que, além de Maringá, existe outro centro de difusão desta tecnologia, que fica em Viçosa (MG). A homeopatia é empregada especialmente no controle de pragas e doenças, aumento de princípios ativos, crescimento das plantas, melhoria das condições do solo e aumento da produtividade. “O principal objetivo é otimizar a produção, utilizando menos quantidade de produtos que são danosos ao meio ambiente”, frisa.

No Paraná, conforme Bonato, a homeopatia está sendo mais utilizada por agricultores da região oeste. “Já realizamos mais de 300 cursos no Estado. A nossa intenção aqui em Apucarana é fazer com que, a partir dessa informação, o produtor tome a decisão de usar a tecnologia na propriedade. Caso isso se confirme, será necessário um curso ampliado, com cerca de 50 horas/aula”, esclarece.
A utilização da homeopatia na Agricultura está amparada na Instrução Normativa no 64, de dezembro de 2008, publicada no Diário Oficial da União. Os medicamentos podem ser preparados a partir de animais (ou parte deles), vegetais e minerais. São muito utilizados no controle de pragas (percevejo, lagarta, formiga, besouros), fungos (antracnose, ferrugem) e vírus. “É uma ferramenta no cultivo orgânico. Ensinamos a fazer medicamentos de forma simples, rápida e barata pelo próprio agricultor, através de processos de diluição e sucussão”, explica o professor, que já realizou mais de 500 experimentos, entre os quais o primeiro controle homeopático de formiga saúva no Paraná.