Água: preservar para não faltar no futuro

Abastecimento nas cidades operadas pela Copasa está normal, mas o uso consciente é fundamental para preservação do recurso

O ano de 2014 começou com forte calor em várias regiões do país e Minas Gerais também passa pelo período de estiagem. Os níveis dos reservatórios e dos mananciais utilizados pela Copasa para abastecimento público nas cidades em que atua estão normais, mas mesmo assim é preciso fazer o uso consciente da água para garantir que todos os imóveis seja abastecidos.

Com a falta de chuvas, caem os níveis dos rios e mananciais que servem de fontes para o abastecimento de cidades. Com o forte calor, o consumo de água aumenta, mas é necessário evitar desperdícios. Além do monitoramento e demais ações da Copasa, o apoio da população é fundamental.

O estímulo ao uso consciente da água também faz parte dos trabalhos estratégicos da Companhia no que se refere à preservação ambiental, com o objetivo de promover a continuidade da qualidade no serviço de abastecimento nas cidades em que opera.

A economia de água chega ao consumidor por meio da fatura mensal. Quanto menor for o consumo, menor também o valor da conta. Fato que já é realidade na Copasa há muitos anos, ao adotar uma política tarifária que promove o consumo consciente.

Sabendo usar, não irá faltar

A água não é um recurso natural infinito. Portanto, é preciso saber consumir. Mudanças de hábito contribuem para minimizar os impactos nos serviços de abastecimento. Evitar “varrer” o calçamento com água, lavar carros com água armazenada em balde, manter torneiras fechadas ao lavar vasilhas ou ao escovar os dentes são alguns dos exemplos.

Com essas pequenas ações, pode-se prolongar a vida útil dos rios e mananciais, garantindo o fornecimento de água necessária a toda a população. Tais medidas também contribuem em outras áreas do saneamento. Um bom exemplo, em caso de economia de água, é a redução de custos com o tratamento de esgoto ao diminuir o volume de lançamentos em redes, além de minimizar os gastos com insumos, manutenções, desentupimentos e outras situações.

Os valores economizados podem ser destinados para outros investimentos, como, por exemplo, ampliação de redes de esgotamento sanitário, sistemas de abastecimento de água, novas tecnologias, além de outros projetos.

 

Dicas preciosas

 

  • Fique atento a vazamentos – Se notar variação anormal de consumo em sua conta, procure por possíveis fontes de vazamento, como, por exemplo, em vasos sanitários e torneiras.

 

  • Sempre que possível, reutilize – A mesma água pode ser usada mais de uma vez nas atividades domésticas. Um bom exemplo é utilizar água armazenada em balde para lavar o carro e também limpar pisos ou demais superfícies da residência.

 

  • Água não é vassoura – Evite “varrer” a calçada com água. Utilize vassoura e não mangueira para esta ação.

 

  • Balde – Quando for lavar o carro, reserve a água em um balde. Assim não se desperdiça tanta água.

 

  • Economize na cozinha – Antes de lavar a louça, retire os restos de comida e mantenha a torneira fechada enquanto estiver ensaboando.

 

  • Roupas – Se possível, acumule o máximo de roupas para lavá-las de uma só vez. Enquanto escova ou ensaboa as peças, a torneira deve ficar fechada.

 

  • Banhos rápidos – Banhos demorados devem ser evitados. Somente 5 minutos são suficientes para higienizar todo o corpo. Barbear ou lavar peças de roupa são práticas a serem evitadas debaixo do chuveiro.

 

  • Lavatório – Ao fazer a barba ou escovar os dentes, mantenha a torneira fechada. Abra somente quando e pelo tempo que for necessário.