Seminário de Prática Odontológica aborda o controle de infecções

Foi realizado em Porto Real o Seminário de Prática Odontológica, no Horto Municipal, que teve como principal foco o controle e proteção contra doenças infectocontagiosas com destaque para HIV/AIDS. Mais de 50 pessoas participaram. Entre elas, auxiliares de saúde bucal, dentistas, enfermeiros e diversos profissionais da área administrativa de Porto Real e cidades vizinhas. Ministrando as palestras estiveram presentes Bruna Picciani, mestre e doutoranda em Patologia pela UFF e Arley Silva Júnior que é doutor em Ciências Diagnósticas pela Universidade de Maryland, nos Estados Unidos e tem pós-doutorado e Medicina Oral pela Universidade da Califórnia.

Os funcionários também receberam informações sobre o DST/AIDS em Porto Real, através da psicóloga Carla Gomes, coordenadora do programa: “O diagnóstico precoce faz com que a doença não avance, evitando que a mesma se torne crônica. A maioria dos casos ainda é por causa do sexo sem proteção, o que caracteriza um comportamento de risco”, destaca Carla Gomes. Também foi abordada a importância da comunicação do acidente de trabalho pelo representante da Medicina do Trabalho da Prefeitura de Porto Real, Edmilson Nascimento.“Todo acidente de trabalho deve ser comunicado pela CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) até o primeiro dia útil após a ocorrência”, disse Edmilson..

A cirurgiã dentista, Bruna Picciani, abordou o controle de doenças infectocontagiosas na prática odontológica. Segundo ela, as chances de contaminação pelos profissionais odontológicos são de 0,3%, conforme pesquisa realizada em 2011, pelo Ministério da Saúde. Bruna relata que o dentista deve orientar o paciente a fazer exames laboratoriais e estar atento a sinais como lesões orais, o que pode ser sinal de alguma infecção: “O dentista deve tomar cuidado e ter condutas adequadas para evitar a contaminação. As doenças mais comuns em pacientes soropositivos são a candidíase oral e a leucoplasia pilosa, transmitida pelo vírus EBV, que também é causador da mononuclesose, conhecida como a doença do beijo. Para o doutor em Ciências Diagnósticas, Arley Silva Júnior, a proteção do profissional de saúde é o fator mais importante: “No início dos anos 90, com o advento da AIDS, passou-se a dar maior importância às normas de biossegurança. O uso dos óculos, máscara e gorro e a troca de equipamentos a cada paciente é essencial”, afirma Arley Silva.

O coordenador de Odontologia de Porto Real, Pedro Tavernari relatou a importância do evento: “O evento é de suma importância para o aprimoramento dos profissionais. No próximo ano pretendemos investir ainda mais em capacitações desse tipo”, finaliza.