Prefeitura de Ariquemes terá 40% de remanejamento num orçamento de 176 Milhões

A cidade que superou os Cem mil habitantes tem um novo orçamento para 2014 com um orçamento dotado em R$ 176 Milhões de Reais, ($176.000.000.00), o prefeito de Ariquemes Lourival Ribeiro Amorim (PMN), parece estar feliz, pois além de um bom caixa para administrar a cidade o prefeito recebeu da maioria dos vereadores um presente de Natal e de ano novo, o remanejamento de 40% do Orçamento, coisa rara na maioria dos municípios do estado.

Fogo Amigo:

O vereador e relator do orçamento, Amalec da Costa (PSC), apresentou emenda para que o remanejamento fosse de 5%, mas, foi vencido pelos demais colegas. Apenas o vereador Édipo Pompeu (PT) acompanhou o relator, mas como já previam os astros, foram vencidos pelo fogo amigo.

Corre em bocas pequenas que, o prefeito “JOGOU 60 PARA GANHAR 40”, mas ninguém consegue entender muito bem o orçamento de R$176 milhões, 25% é da educação,15% da saúde já foram 40% para entender melhor, sobra 60% estes 60 o prefeito mandou um projeto para que os vereadores votasse para dar autonomia para que ele, possa mexer e fazer o que bem quiser, a câmara votou e deu a ele não o que ele queria que era 60% mas deu 40% que ficou de bom tamanho só o que paira no ar é, saber se foi feita alguma emenda onde a câmara tem autonomia de fiscalizar estes 40%, uma situação que a população continua sem entender se é necessário.

Como vamos saber que os recursos serão bem remanejados para gastar de acordo com a necessidade da população. O prefeito Lourival Amorim que solicitava 60% de remanejamento vai poder remanejar 40% dos recursos. Votaram a favor do remanejamento de 40% os seguintes vereadores: Adauto Calixto (PMN), Loro da Sucam (PR), Rosa Pereira (PSL), Vânio Marques (PMDB), Adair Moulaz (PSDB), Vanilton Cruz (PSD), Lano Matias (PSC), Farofa Moto táxi (DEM) e João Leite (PP).

A Câmara que é séria e quer o controle da administração, transparência e a aplicação daquilo que se planejou e aprovou, nunca aprovaria esse absurdo do prefeito poder remanejar “40% do orçamento”. Isso não é planejamento orçamentário, isso é um grande papel higiênico o comum é o prefeito poder remanejar no máximo 20%, isso é sim é um grande papel higiênico.