Entidades de classe de todo Paraná discutem gestão em Foz do Iguaçu

CREA-PR reúne mais de 600 profissionais paranaenses para debater temas como sustentabilidade, Resolução 1.01 e importação de mão de obra

 Mais de 600 profissionais das áreas tecnológicas de todo Estado se reúnem de 3 a 5 de novembro, em Foz do Iguaçu, no Hotel Mabu Thermas e Resort, para acompanhar o 39º Encontro Paranaense de Entidades de Classe (EPEC), realizado pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR).

Apucarana estará representada por vários profissionais, entre eles a presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos (AEAA), Alcides Vicente Júnior. Arapongas também tem sua representatividade garantida no evento, como através do presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Arapongas (Asenarag), Marcos Ferreira.

Neste ano, o evento terá como tema “A Excelência na Gestão das Organizações Profissionais” e contará com a organização, em paralelo, do 20º Fórum Estadual de Inspetores do CREA-PR e o 9º Encontro Estadual do CREAjr.

“Aproveitaremos a grande reunião de profissionais de todo Estado para abordar temas de interesse das áreas tecnológicas, como a importação de mão de obra estrangeira e a Resolução 1.010, que versa sobre atribuições profissionais e motivou o CREA-PR a criar uma contraproposta apresentada nacionalmente ao Conselho Federal”, explica o presidente do CREA-PR, engenheiro civil Joel Krüger.

Pela Resolução 1.010, as atribuições profissionais deixam de ser concedidas somente de acordo com o título acadêmico e passam a ser deferidas pela formação profissional e competências adquiridas, sem restrições. Ela é polêmica porque estabelece um sistema de análise curricular que permite ao profissional de determinada modalidade incorporar ao registro profissional competências de outra área no mesmo grupo profissional, se adquiridas em cursos de pós-graduação, especialização, mestrado ou doutorado.

“A norma paranaense propõe a criação de tabelas que disponham os títulos pertinentes a cada uma das formações relacionadas às engenharias existentes. Nossa proposta é que o profissional possa se especializar apenas dentro dos títulos pertinentes à sua área para que não acabe invadindo a área de outra engenharia”, comenta Krüger. “Também sugerimos a criação de tabelas de títulos diferenciados, que podem variar de acordo com o Estado, respeitando as características de cada região do País e evitando choque com as diretrizes curriculares já existentes”.

Excelência na gestão das entidades de classe

 Integram ainda a programação do 39˚ EPEC o debate de temas como auditoria, excelência em gestão, qualidade na prestação de serviços, inovação, ética, valorização das Engenharias como um todo e oportunidades de captação de recursos pelas organizações.

“São muitas as expectativas com relação ao 39˚ EPEC, visto que este é o segundo ano da existência do Colégio de Entidades de Classe (CDER) e teremos muitos resultados a apresentar, além do grande envolvimento na organização e nos trabalhos que serão desenvolvidos durante o encontro”, fala a coordenadora estadual do CDER, engenheira civil Suzely Soares.

Neste ano, o evento traz novidades, como a entrega oficial do Prêmio Profissionais do Ano, que valoriza as melhores atuações nas áreas abrangidas pelo Sistema e homenageará profissionais indicados e eleitos nas oito Regionais do Conselho: Curitiba, Apucarana, Ponta Grossa, Pato Branco, Londrina, Maringá, Guarapuava e Cascavel. Além disso, os já tradicionais Prêmio Inovação e Boas Práticas e o coroamento do evento, com o 6˚ Prêmio CREA de Qualidade (PCQ).

“As atividades fomentam a discussão sobre as necessidades e as oportunidades das entidades na busca pela excelência em suas gestões, bem como no desenvolvimento de ações com foco na sustentabilidade das organizações profissionais ligadas ao Sistema CONFEA/CREA”, explica o coordenador do evento, administrador Claudemir Marcos Prattes.

Serviço – 39º Encontro Paranaense de Entidades de Classe (EPEC)

Data: de 3 a 5 de novembro

Local: Hotel Mabu Thermas e Resort

Realização: Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR).