Encontro de olericultura incentiva produção de orgânicos

A Secretaria Municipal da Agricultura, em parceria com a Emater e Sicredi, promoveu nesta quinta-feira (21/11) o Encontro de Produtores Olericultores. O evento, que aconteceu no salão nobre da Prefeitura, reuniu pequenos agricultores familiares, especialmente aqueles que comercializam produtos junto aos programas públicos de aquisição de alimentos para a merenda escolar e à Feira do Produtor. Um dos objetivos do encontro é promover a diversificação rural e encontrar novos nichos de mercado, entre os quais está o cultivo de produtos orgânicos (livres de agrotóxicos).

O prefeito Beto Preto deu as boas-vindas as participantes e lembrou que o evento faz parte da programação alusiva aos 70 anos de Apucarana. Beto Preto fez um breve relato dos avanços no setor, especialmente no tocante à recuperação de estradas rurais, e também frisou que esteve no início da semana esteve reunido com a superintendência da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em Curitiba. “Estive com o superintendente Erli (de Pádua Ribeiro) e discutimos a ampliação do Programa Compra Direta do Produtor em Apucarana. Para isso, vamos cadastrar mais agricultores”, afirma.

Beto Preto também salientou que existem diversos programas, federais e estaduais, direcionados ao setor e que o acesso depende da mobilização e da organização dos produtores.  “A Prefeitura está, através da Secretaria da Agricultura, montando diversas estratégias para promover a diversificação e a geração de renda no meio rural”, ressalta Beto Preto. O  encontro desta quinta-feira teve ainda a presença do secretário municipal de Agricultura, João Carmo da Fonseca, do gerente local da Emater, Geraldo Maronezi, de Regiane Cristina Lopes, gerente da carteira agrícola do Sicredi, e da vereadora Aurita Bertoli.

O encontro teve quatro minipalestras, no período das 8 às 12 horas. A temática “Segurança Alimentar” foi abordada pelas nutricionistas responsáveis pela merenda escolar do município, “Organização do Produtor e da Produção” teve como palestrante o técnico agrícola Robson José Menegardi, “Produção Orgânica” trouxe a experiência do produtor Célio Ferracioli, de Marilândia do Sul, e a palestra “Projetos Orgânicos” foi apresentada por Antônio Roberto Nogueira, diretor municipal da Agricultura Familiar.

De acordo com o secretário municipal de Agricultura, João Carmo da Fonseca, o evento faz parte do ciclo de encontros e de iniciativas que visam promover a diversificação rural em Apucarana. “Um dos objetivos desse encontro foi apresentar e divulgar um curso de produção orgânica, que pretendemos ofertar a partir do ano que vem. O mercado de produtos orgânicos está em expansão, sendo um dos que mais cresce no Brasil, mas não há uma alternativa local para atender a exigência do mercado”, assinala.

MERCADO LOCAL - Em Apucarana não existem agricultores que cultivam orgânicos e também há poucos estabelecimentos que oferecem esse tipo de produto. Célio Ferracioli, de Marilândia do Sul, é um dos agricultores na região que se dedica à atividade e garante que o cultivo é rentável. “Tenho uma propriedade de 9 hectares, onde cultivo 20 variedades. No verão, a renda familiar mensal chega a cerca de R$ 10 mil”, revela. Apucarana, de acordo com ele, ainda não é um mercado atraente. “A minha produção vai 80% para Arapongas, 15% para Londrina e 5% para Apucarana”, observa.

Conforme Antônio Roberto Nogueira, diretor municipal de Agricultura, o curso de produção de orgânicos que será desenvolvido em 2014 terá 15 módulos, com aulas teóricas e práticas. “A nossa intenção é, no final do curso, conceder aos participantes o certificado de propriedade produtora sem agrotóxicos”, esclarece.

A produção é orgânica quando não utiliza adubos químicos e nem herbicidas(que matam ervas, matos e capins), pesticidas(que destroem pestes ou pragas), acaricidas(que matam os ácaros) e vários outros produtos químicos que são utilizados na agricultura convencional. No método orgânico, resolvem-se estes problemas com nutrição natural adequada das verduras e legumes e a aplicação de produtos naturais de controle. Nogueira afirma ainda que o curso de produção orgânica não se restringirá apenas a hortaliças, mas abrangerá qualquer tipo de cultivo, como maracujá, café, soja e até leite.