Conselho Municipal dos Direitos da Mulher é tema de palestra e debate na prefeitura

Dando continuidade à programação desenvolvida pela Secretaria da Mulher e Assuntos da Família de Apucarana durante a campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher”, a secretária municipal da Mulher de Curitiba, Roseli Isidoro, proferiu palestra hoje sobre o tema “A importância do conselho municipal dos direitos da mulher”. O evento, realizado no salão nobre da prefeitura com a presença de representantes da sociedade civil e governamental, também marcou o início dos debates para reativação do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Apucarana

Segundo Roseli, a existência do conselho no município aproxima a participação da sociedade na definição das políticas e no acompanhamento das ações que são encaminhadas pela prefeitura. “É uma forma também de tornar o trabalho e o debate mais democrático”, considera a secretária.

Sem conseguir atender todos os convites para ministrar palestras em várias cidades do estado, Roseli observa que não podia deixar de comparecer a Apucarana. “Dou prioridade para aqueles municípios que estão em fase de implantar o conselho. Apucarana, por exemplo, já tem uma lei que cria o conselho municipal dos direitos da mulher, mas que se encontrava inativo. Agora está sendo reativado pela atual administração”, justifica.

“Depois de algum tempo parado, estamos retomando as atividades do conselho. Convidamos a sociedade civil e governamental para estar aqui hoje e trocarmos idéias rumo a esse objetivo. Foram relacionadas às entidades que manifestaram interesse em participar do conselho e em breve vamos nos reunir novamente”, informa a secretária da Mulher e Assuntos da Família, Denise Canesin Machado.

“Vamos reativar o conselho para que as mulheres possam ter uma voz mais forte na luta pelos seus direitos”, complementa a secretária. Segundo ela, em novembro, 86 mulheres procuraram o Centro de Atendimento a Mulher (CAM), todas as vítimas de violência doméstica. “O problema que muitas não denunciam e nossa campanha gira justamente em torno disso, de mostrar que há uma lei que as ampara, a lei Maria da Penha”, enfatiza.

A Secretária da Mulher e Assuntos da Família tem divulgado de maneira intensa os atendimentos que oferece de amparo as mulheres, fazendo com que se sintam mais seguras na hora de denunciar. “Uma das causas que muitas ainda se encontram em situação de risco é a dependência financeira. Por isso também ministramos cursos para que elas adquiram essa independência, diminuindo, por conseqüência, a questão da violência. Aqui elas encontram respaldo”, assegura Denise.