Arara do bosque Municipal é curada de câncer

Parque de Apucarana conquista destaque no trato de animais feridos e doentes

 Administrado pela Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Apucarana, o Bosque Municipal Parque das Aves é hoje referência regional não só pela forma com que faz o abrigamento e exposição dos animais aos visitantes, mas também pela maneira com que tem dispensado tratamento médico-veterinário. “No decorrer deste ano vencemos as dificuldades orçamentárias com a concretização de diversas parcerias, sobretudo com a Polícia Ambiental Militar Força Verde, universidades e também com profissionais especializados em animais silvestres”, observa Itamar Gomes de Oliveira, secretário Municipal de Meio Ambiente.

Somente nestes últimos meses, relata Itamar, dois casos específicos chamaram a atenção no local. O primeiro foi o diagnóstico e cura de câncer de garganta em uma das araras-canindé e, o segundo caso, envolveu o resgate e cuidados a um macaco-prego ferido por um bando rival junto à mata do Parque Ecológico da Raposa.

No caso da arara-canindé, conta o administrador do bosque, Alan Barneze de Lima, a identificação da doença veio por intermédio do trato diário. “No dia a dia dispensamos atenção especial a todos os animais e há dias nossa equipe vinha percebendo uma mudança de hábitos e rotina, sobretudo na hora da alimentação. Ao verificarmos mais de perto, percebemos um “calombo” em seu pescoço, que posteriormente foi diagnosticado pela equipe de biólogos e veterinários como sendo um tumor cancerígeno”, observa Lima.

Segundo a bióloga da Sema, Heloisa Beffa, além do câncer a ave ainda enfrentou uma infecção respiratória e, na avaliação dos especialistas, a observação por parte dos cuidadores foi decisiva para o tratamento e recuperação. “Nos foi dito que caso demorasse um pouco mais, certamente ela não teria salvação devido o avançar da doença. Agora ela está em fase final de recuperação. Só a estamos fortalecendo um pouco mais para em breve poder retorná-la ao viveiro junto com as demais de sua espécie”, relata o administrador do Parque das Aves. Os custos da cirurgia foram arcados pela Secretaria de Meio Ambiente.

Já no caso do macaco-prego ferido por grupo rival na mata do Parque Ecológico da Raposa, o animal foi conduzido ao bosque por uma equipe da Polícia Militar Ambiental Força Verde depois de receber os primeiros-socorros gratuitamente na Unifil, em Londrina. Segundo o secretário Itamar Gomes de Oliveira, a briga foi gerada pela escassez de alimentos registrada neste ano devido as geadas. “Ele teve ferimentos profundos em todo o corpo e muitos que o viram naquele estado não acreditavam em sua recuperação”, conta Luiz Mário Kovaleski, diretor de Parques e Praças da prefeitura.

Além do atendimento na universidade, depois de retornar a Apucarana o primata precisou ainda de cuidados veterinários prestados por uma clínica de Arapongas, parceira da Força Verde, e agora permanece recebendo os cuidados de enfermagem por parte da equipe de servidores do bosque. “O veterinário passou o receituário, o município comprou os medicamentos e seguimos à risca a medicação. Agora ele está fora de risco, mas infelizmente não poderá mais retornar à natureza, pois teve dilacerações nos dedos das “mãos” e também foi necessário amputar a cauda, que é de extrema necessidade para a sua locomoção entre as árvores e, consequentemente, fundamental para sua sobrevivência”, avaliou Alan Barneze de Lima, administrador do Parque das Aves. Quando receber alta, o macaco vai ser ambientalizado para conviver junto ao viveiro com os demais de sua espécie.

Espaço dispensa cuidados a outros animais resgatados

Além de ser o fiel depositário de um filhote de jiboia, interceptado pelos Correios e encaminhado a Apucarana pelo Ibama, o bosque municipal atualmente tem sob cuidado intensivo um filhote de cachorro-do-mato graxaim. “Ele nos foi trazido também pela equipe da Força Verde. Tem entre 30 e 35 dias e precisa mamar de duas em duas horas”, conta a bióloga da Sema, Heloisa Beffa. Ela destaca que a equipe municipal faz o papel de mãe do pequeno. “Em relação a animais resgatados temos ainda neste momento dois filhotes de siriemas, cria do próprio bosque, mas que os pais por serem de primeira viagem, estavam colocando em risco suas vidas, sem contar com risco de serem devorados pelos lagartos que circulam pelo local, e também há um filhote de coruja, que nos foi entregue por um morador que a encontrou caído defronte sua casa”, narra a bióloga. De acordo com ela, as siriemas assim que tiverem condições, serão reintegradas ao bosque, onde são mantidas soltas. “Já o filhote de coruja não poderemos soltar na natureza novamente por não ter a vivência necessária para sobreviver”, explica.

Prefeitura realiza melhorias visando a temporada de verão

O prefeito Beto Preto (PT) destaca a dedicação dos servidores municipais lotados no bosque municipal. “São funcionários dedicados, que fazem o máximo para manter o bem estar dos animais e também deixar o local receptivo para os visitantes, que vêm não só de Apucarana, mas de inúmeras cidades da região”, frisa o prefeito. Ele informa que já determinou o início de uma operação de limpeza e roçagem geral visando a temporada de verão. “Os trabalhos já tiveram início. O bosque já está muito bem cuidado, mas vamos deixá-lo ainda melhor para receber as famílias que costumam vir em maior número nesta época de férias”, comenta. De acordo com ele, além de limpeza e roçagem geral, as benfeitorias vão atender ainda pintura e manutenção do playground e também de alguns viveiros. “Também vamos dedicar atenção especial ao calçamento entre os viveiros”, pontua Beto Preto.

“Parque das Aves” se consolida como atração regional

 O Parque das Aves funciona de terça-feira a domingo, sempre das 10 às 17 horas e recebe semanalmente centenas de visitantes. “São famílias, alunos de escolas locais e de cidades da região que fazem excursões organizadas pelas suas escolas como parte da educação ambiental”, conta Itamar Gomes de Oliveira, secretário Municipal de Meio Ambiente. “Podemos afirmar que o Parque das Aves se transformou numa atração regional”, comemora.

Diante do crescente interesse, a administração do bosque, inclusive, disponibilizou um número de telefone para agendamento de visitas das cidades vizinhas. “A segunda-feira é dedicada à limpeza geral e a serviços manutenção”, observa o secretário.

O bosque - Entre aves, mamíferos e alguns répteis, atualmente a população do espaço é estimada em 230 animais. De responsabilidade da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Apucarana, o Bosque Municipal Parque das Aves fica localizado na Rua Clóvis da Fonseca, esquina com a Rua João Antônio Braga Cortes (próximo ao Country Clube). Mais informações e agendamento de visita monitorada pelo telefone 3424-0774 ou 3423-0142 (Sema).

Especialistas promovem adequações e triagem no bosque municipal

O Bosque Municipal Parque das Aves, em Apucarana, recebeu no mês de julho uma intervenção técnica chamada de enriquecimento ambiental. Com supervisão da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Apucarana, o trabalho foi desenvolvido por uma veterinária e dois biólogos especializados em animais silvestres. Ligados à Nature Consultoria Ambiental, de Londrina, Dra. Grazielle Soresini, com assessoria de Lucas Jarduli e Willian Luiz Cunha, o trabalho atendeu a um convite da prefeitura e compreendeu desde a reestruturação de viveiros de acordo com as características e necessidades de cada espécie, passou pela elaboração de sugestões a serem adotadas pela coordenação do bosque e chegaram à triagem individual dos animais com exames de sanidade e pesagem para acompanhamento gradativo. “Desde que o bosque foi reaberto em 2006, esta foi a primeira vez que este trabalho foi realizado com tanta profundidade”, frisa o prefeito Beto Preto (PT).